If you really knew me...

Este projecto já anda pela blogosfera há meses mas decidi participar só agora.


Se tu realmente me conhecesses saberias que por trás da rapariga que aparenta estar bem e sem problemas nenhuns, já os teve e muitos. E alguns, embora mais leves, ainda existem. Saberias que odeio o meu corpo. Saberias que a pessoa que eu mais desprezo neste momento é o meu avô, que me insulta sempre que pode, que manda bocas de canalha, de putos de 10 anos e se comporta como tal. Saberias que valorizo imenso os meus pais, embora fale mal com eles quando não devo, e que tenho um medo enorme de os perder. Saberias que 10 anos depois de ter perdido o meu padrinho ainda choro quando recordo momentos da minha infância, assim como choro quando me lembro da minha avô a cantar fado nas escadas da sua casa. Saberias que tenho uma prima, cuja relação nunca mais foi a mesma, embora tenhamos sido inseparáveis quando éramos crianças. Saberias que a única família que tenho neste momento a 100% presente e confiável são os meus pais...

E tu? Se nós te conhecêssemos realmente como seria?





Sabe mais sobre este projecto aqui. Link e imagem do projecto lá no fundo, junta-te a nós, 100% real e 0% imagem.

6 comentários:

  1. O maior problema é que são poucas as pessoas que verdadeiramente nos conhecem... Força!

    ResponderEliminar
  2. Julgamos sempre que conhecemos as pessoas até que percebemos que têm sempre algo mais para nos mostrar, que há muito mais para além daquilo que vemos e/ou lemos.
    Gostei deste projeto!

    ResponderEliminar
  3. Gostei bastante desta iniciativa. Em breve irei participar e divulgá-la no meu blogue.

    Já agora, desejo-te força para lidares com o teu avô e também para lidares com as saudades do teu padrinho. Imagino que seja mesmo muito difícil mas tu és forte :)

    ResponderEliminar
  4. e tens-nos a nós, bu', não te esqueças!

    ResponderEliminar
  5. revejo-me em muitas dessas palavras também s: ... mas não te esqueças que nunca estarás sozinha! e alguma coisa, estou aqui linda :)

    ResponderEliminar

Não me diga que o céu é o limite, quando há pegadas na Lua.

Devaneia para a frente*
Os comentários serão respondidos no teu blog, se demorar muito... a culpa é da falta de tempo e/ou da preguiça!