Swift

My head. Is always racing. ☽


Precisava de vir cá. De escrever. Para ver se pelo menos uma parte do que corre cá dentro, vem para fora. Apesar de que, nos últimos dias, acaba por vir, em lágrimas.
O stress tem sido muito, demasiado. Se vos disserem que o mestrado é puxado e ainda vos deixa mais exaustos, não duvidem disso. Eu estou no mestrado, e à mistura, ainda tenho o projecto de graduação para apresentar na próxima semana. Não está fácil acalmar... Nada.
Como sabem já não andava muito bem em termos psicológicos, e esta corrente de trabalhos e o principal, a tal da defesa, não vieram ajudar nada neste meu estado. Os meus pais, a minha tia, ao ver-me assim, já me perguntaram: Queres desistir? Pára. Nós não nos importamos.
Eu não sei o que fazer, eu não quero parar, porque eu gosto mesmo do meu curso e sinto que estariam a pagar pelo meu curso para nada, eu não sou do tipo 'mal agradecida'. Por outro lado, não ando bem, estou basicamente sozinha, a turma é pequeníssima - mesmo muito pequena - não tenho nenhuma das minhas companheiras de loucuras, a japa... Ninguém. Sinto que se parasse apenas um ano já me ajudaria imenso, e depois voltava, com a força toda.
Às vezes, somos colocados à prova, para que mais tarde possamos ver que a nossa decisão valeu a pena e que era o melhor para nós. Só preciso de saber, o que é melhor para mim? O que devo decidir?
Por agora, estou a preparar a defesa, a adiantar um pouco dos trabalhos. Vou vendo, se continuar a piorar, só haverá uma coisa a fazer...

Ao menos, tenho o nosso bebé cá em casa, tenho pequenas saídas com as ex companheiras de turma e ainda de loucuras; com a Cath e a Carol; e ainda tenho o coro ao sábado que me faz distrair pelo menos uma vez por semana. Preciso de algo que me dê um sentido, que me anime, mais do que esta rotina de stress que agora tenho...

Devaneios "parecidos"

9 pequena(s) coisa(s)

  1. É mesmo desgastante, porque parece que há sempre imensa coisa para fazer, e a lista em vez de diminuir só aumenta. O mais importante é sentires que a tua saúde não fica comprometida.
    Respira, analisa os prós e contras e depois decides. Tendo o apoio dos teus é mais fácil, até pelo facto de eles saberem que os teus motivos não são mera preguiça. Força!

    ResponderEliminar
  2. Falando com a experiência de quem está a passar por um período semelhante, mas noutras circunstâncias, o meu conselho é que pares, temporariamente, e retomes quando te sentires preparada.

    ResponderEliminar
  3. Oh minha querida, este texto deixou-me bastante preocupada contigo.
    Há fases assim, em que parece que nada melhora e que tudo parece acontecer ao mesmo tempo, depois acalma. Tenta viver um dia de cada vez, se vires que precisas de uma pausa, faz a pausa. Às vezes o caminho passa mesmo por aí, parar para voltarmos em força. Não te forces a fazer algo para o qual sentes que não tens energia, no entanto, não desistas já. Enche-te de boas energias, pode ser que tudo melhore rapidamente. Força, um beijinho :)

    ResponderEliminar
  4. Querida, depois de apresentares o projecto, se vires que não dá mesmo... Não há vergonha nenhuma nisso :) Às vezes é mesmo precisar parar para depois seguir com mais força e vontade. E até podes ver que depois deste stress maior passar, ficas melhor...

    ResponderEliminar
  5. Gostei muito :)
    Da uma pausa a ti própria vai saber te melhor quando recomeçar és!
    Beijinho!

    ResponderEliminar
  6. Gostei muito :)
    Da uma pausa a ti própria vai saber te melhor quando recomeçar és!
    Beijinho!

    ResponderEliminar
  7. Há fases menos boas da nossa vida. Não cheguei a fazer mestrado mas a minha entrada para ao Ordem também me colocou em altos níveis de stress e ansiedade. Nessa altura questionamos tudo e queremos desistir sempre. Mas a verdade é que o caos compensa e sei, que é fácil falar, ainda por cima por alguém que já passou mas não está lã.
    Em relação ao tocares na questão de que já sabes o que fazer que assim continuares eu aconselho-te uma palestra de Coach, numa hora alguém ali dentro mudará a tua vida. Ela não é sempre má, nós temos é que aprender a sua língua.

    Beijinho e força

    ResponderEliminar
  8. Se sentes que não estás confortável, se te sentes a atingir o limite, deves mesmo repensar a situação, para teu bem!
    Força! Tens o meu email, portanto se precisares: comunica!

    R: Que linda Neazita <3
    Eu estou a adorar, é interessante, só que sem tempo não há leituras, portanto ainda só vou a meio...

    ResponderEliminar
  9. Senti-me assim também no meu último ano de faculdade. Estudava e trabalhava e já não tinha forças para continuar. Mas foi uma grande colega e hoje amiga que me fez não desistir e ajudou-me até chegarmos juntas à bênção de finalistas. Não desanimes! Agarra-te a algo que te dê força para continuares :')

    R: ahahah temos o mesmo vício! Já faço gel há uns 5 anos e numa altura deixei de fazer durante uns 2 meses e roia sempre as unhas... Não conseguia deixá-las crescer, por isso... mais vale continuar com o nosso amigo gel que as deixam tão lindinhas! :b

    ResponderEliminar

Não me diga que o céu é o limite, quando há pegadas na Lua.

Devaneia para a frente*
Os comentários serão respondidos no teu blog, se demorar muito... a culpa é da falta de tempo e/ou da preguiça!

Insta*