Eu sei...

... que vos prometi duas noites e um dia inteiro de Halloween mas à noite acabei por ir sair com a Sophie, a Phoebe, o Louis, o John e o Toby. A Rachel também ia mas acabou por não puder.
Então eu de tarde andei a estudar para a frequência de segunda, uma vez que ao final da tarde ia andar a arranjar-me para à noite sair, e não tive tempo de escrever mais nenhum post...
Mas divertimo-nos muito, para variar!
Desculpem mais uma vez*

9 comentários:

  1. O importante é que te tenhas divertido :D

    r: Muito obrigada!
    Desejo-te o mesmo, minha linda.

    Sim, talvez faça isso.
    Gostei mesmo. Acho interessantes saber os pormenores destas lendas, até porque, por vezes, já ouvimos falar delas, mas nem tudo o que se diz corresponde aos factos

    Será que tem? :p depois se puder mostro-vos qual foi o meu contributo para o moleskine viajante

    Tão querida, obrigada *.*

    A sério?
    Sempre! Aquela música é bastante pessoal, até porque ele escreveu-a para uma amiga que faleceu, mas ao ouvi-la é impossível não me identificar. Só muda a pessoa. Todos nós já perdemos alguém importante e por mais distintos que sejamos uns dos outros quando passamos por isso temos um sentimento em comum: o desejo que ela volte. Lembro-me dos meus avós todos os dias, mas aquela música faz-me sentir um pouco mais perto deles. E foi mesmo graças a ela que consegui escrever para o meu avô.

    Mal vi a iniciativa no teu blog fiquei com vontade de participar, mas fui adiando por falta de coragem, até perceber que não podia adiar mais. E hoje arrependo-me de não ter partilhado aquele texto mais cedo.

    Um grande beijinho*

    ResponderEliminar
  2. r: Não tens que agradecer :)

    E fizeste um excelente trabalho!

    Quando o moleskine viajante chegar à responsável penso que não deve haver problema de mostrar a minha parte. Não sei se ela fará uma espécie de apanhado de tudo o que está no caderno, mas consoante o que ela fizer eu depois partilho a minha parte (:

    Sou suspeita porque adoro o Diogo, mas ele tem essa capacidade incrível de tocar as pessoas. E aquela música está mesmo perfeita, não só pela letra, mas pela forma como abordou um assunto tão delicada. É algo pessoal, mas representou-nos a todos.

    É verdade, se há sítio onde não devia faltar a coragem é aqui. Já estou na blogosfera há cinco anos (não com o mesmo blog), por isso já o devia saber :p mas por ser um assunto que não abordamos com tanta frequência parece que falta sempre a força para o primeiro passo.
    E senti-me mesmo bem ao fazê-lo!

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  3. O que te importes é que te tenhas divertido :)

    ResponderEliminar

Não me diga que o céu é o limite, quando há pegadas na Lua.

Devaneia para a frente*
Os comentários serão respondidos no teu blog, se demorar muito... a culpa é da falta de tempo e/ou da preguiça!