06 março 2015

Aquilo que eu andava a dizer há anos


Não sei se já perceberam mas a minha tia tem uma empresa, pequena onde trabalham os homens da família. Essa empresa sempre foi gerida pelo meu avô, até à cerca de 5 anos atrás... Já vos disse como é que o meu avô é, ele estava atulhado de problemas e dívidas e se não arranjasse solução a empresa teria de fechar, então a minha tia tratou de tudo direitinho, deitou a empresa do meu avô abaixo e criou uma nova onde ela é a gerente. Só que... A empresa é pobrezinha digamos, a minha tia nestes anos todos só comprou um camião novo que foi o do meu tio, porque o dele estragou-se e não tinha arranjo se não nem isso. Podia poupar dinheiro para comprar as placas de TP (transportes pesados) mas não, e à custa disso os motoristas, meu pai incluído têm de andar sempre a fugir da polícia.
Ontem o meu pai foi mandado parar, quando me foi levar à uni, não me queiram imaginar porque sim... sinto que a culpa foi minha.
Mas em vez de comprar as coisas que deve a minha tia põe-se a gastar dinheiro em coisas desnecessárias, e não é para a empresa...E à custa disso os trabalhadores recebem multas atrás de multas. Neste momento a minha tia tem dividas grandes nas finanças e na polícia. O advogado apresentou-lhe uma solução: declarar insolvência e começar de novo, uma nova empresa com um novo gerente. Quem será esse gerente? O meu pai. A minha mãe falou-lhe disso ontem e ele disse que teria de esclarecer umas dúvidas, dúvidas que tenho a certeza que serão esclarecidas pelo advogado. As pessoas têm de lhe garantir que nada me vai afectar a mim, nesse aspecto a minha mãe concordou.
Vocês devem estar a pensar que vai acontecer tudo outra vez, foi o meu avó e teve de passar para a minha tia, agora a minha tia para o meu pai. Mas não tem nada a ver, o meu avô é a personagem que é e a minha tia gasta o dinheiro no que não deve. Isso não vai acontecer com o meu pai. O meu pai é aquele que trata de praticamente tudo, a minha tia só trata de mexer com o dinheiro para pagamentos e isso tudo, das facturas e coisas afins. Quem trata dos negócios, de explicar aos outros as coisas mais importantes é o meu pai. Toda a gente da fábrica lhe diz que ele tem de criar uma firma dele e mandar esta com o caraças, eu sempre adorei essa ideia, e finalmente ela parece estar a avançar.
Tenho quase a certeza que não vão haver metade das dívidas que houve e há e que o meu tio não terá os vícios que tem agora de pegar quando quer e bem lhe apetece.
Vamos a ver como isto corre. 

20 comentários:

  1. Espero que consigam começar de novo e que desta vez dê tudo certo.

    ResponderEliminar
  2. Parece-me uma boa notícia!
    Força que só custa começar :)
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  3. Pode ser um bom ponto de viragem :) tenho a certeza que o teu pai vai dar muito bem conta do recado :) força*

    ResponderEliminar
  4. É uma situação bastante complicada, até porque afeta várias pessoas.
    Desejo a maior sorte ao teu pai. Vai correr tudo bem!

    ResponderEliminar
  5. Só espero que corra mesmo tudo como planeado! Sabes que estou a torcer para que sim.

    r: Não te preocupes, vou cuidar muito bem dele! ♥
    Queria fazer ou não queria fazer? ahah
    Acho bem xD

    ResponderEliminar
  6. r: É tradição na minha cidade dançarmos a valsa :b

    ResponderEliminar
  7. R:desde já obrigada por me tres dado noticias sobre ela e obrigada pela sugestão do telemovel não bloquei o cartão ms fiz uma segunda via beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Bem...é complicado, mas vai correr bem.
    Bom fim de semana ;)

    ResponderEliminar
  9. essas coisas de família, normalmente não correm bem! espero que desta vez fique tudo bem! ainda vais ser uma ricalhona, oh nea :p

    ResponderEliminar

Não me diga que o céu é o limite, quando há pegadas na Lua.

Devaneia para a frente*
Os comentários serão respondidos no teu blog, se demorar muito... a culpa é da falta de tempo e/ou da preguiça!